1. A Revista Educação em Questão é um periódico trimestral do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Periódico (on-line) de acesso aberto e submissão sem custos para o(s) autor(es), publica artigos originais e inéditos de Educação, resultantes de pesquisa cientifica, além de resenhas de livros e documentos históricos.
  2. O artigo em consonância com o que prescrevem estas Normas Gerais é configurado para papel A4, observando as seguintes indicações: digitação em word for windows; margem direita/superior/inferior 2,5 cm; margem esquerda 2,5 cm; fonte Century Gothic no corpo 12, com espaçamento entre linhas 1,5 cm. Nas citações (a partir de quatro linhas), o espaçamento é simples e a fonte, 11.
  3. O artigo original e Inédito (português, espanhol, francês e inglês), entre 25 e 30 laudas, deve incluir Resumo em português, espanhol, inglês e francês (para artigo em língua francesa) em torno de 15 (quinze) linhas ou 150 (cento e cinquenta) palavras, com indicação de quatro (4) palavras-chave em cada idioma; o espaçamento entre linhas 1,5 cm e a fonte 12.
  4. No início do artigo, figurará o título em português, inglês e espanhol, antes de cada resumo (negrito e caixa baixa), autoria(s), instituição.
  5. O título deverá conter, no máximo, 100 (cem) caracteres com espaço.
  6. A citação, a partir de quatro linhas, deve ser recuada e seguida do sobrenome do(s) autor(es), ano e página.
  7. Escrever o sobrenome dos autores citados no corpo do trabalho.
  8. Registrar, nas referências, somente, os autores citados no corpo do texto, devendo escrever o nome completo dos autores e dos tradutores.
  9. As notas devem ter caráter unicamente explicativo e constar no final do texto, antes das referências. Cada nota explicativa deverá conter, no máximo, 400 (quatrocentos) caracteres.
  10. As figuras e imagens constantes no artigo devem ser de alta resolução.
  11. O autor deve apresentar uma declaração de que o artigo é, inteiramente original e inédito. Ou seja, na declaração conste que o artigo não foi publicado em periódico, livro, anais de congresso, site, blog, além do registro do Orcid.
  12. O autor deve registrar o número do ORCID (Open Researcher and Contributor ID) em “Perfil” do(s) autor(res) do artigo.
  13. Cada artigo poderá ter, no máximo, três (3) autores; preferencialmente pertencentes a grupos de pesquisas. Exige-se que, pelo menos, um dos autores tenha o título de doutor.
  14. O artigo, resultante de dissertação de mestrado e de tese de doutorado, poderá ter, no máximo, dois (2) autores.
  15. A apreciação do artigo pelo parecerista consiste na consistência do título (com relação ao conhecimento produzido); na consistência do resumo (apresentando, necessariamente, objetivo, referencial teórico e/ou procedimento metodológico e resultados); na consistência interna do trabalho (com relação ao objetivo, ao referencial teórico e/ou procedimento metodológico e aos resultados); na qualidade do conhecimento educacional produzido (com relação à densidade analítica, às evidências ou provas das afirmações apresentadas e às ideias conclusivo-analíticas); na qualidade do conhecimento educacional produzido (com relação à estruturação e à articulação das partes do artigo); na pertinência da conclusão do trabalho (referente ao objetivo e ao referencial teórico e\ou procedimento metodológico e ideias às conclusivo-analíticas); na pertinência da argumentação e da coerência textual; na adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa; na relevância acadêmica e científica (com relação aos padrões de uma pesquisa científica) e na originalidade do artigo para a área de Educação.
  16. A resenha de três a quatro laudas deverá vir com um título em português, inglês e espanhol (negrito e caixa baixa) e a referência do livro resenhado.
  17. Cada resenha poderá ter, no máximo, dois (2) autores
  18. A apreciação da resenha reside na sua clareza informativa, crítica e crítico-informativa; na apresentação do conhecimento produzido para área de Educação; na consistência na exposição sintética do conhecimento do livro resenhado; na adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa e nas Normas da Revista Educação em Questão.
  19. O documento histórico deve vir acompanhado de uma apresentação em torno de 7 linhas ou 100 palavras.
  20. O artigo e a resenha submetidos à Revista Educação em Questão, serão, primeiramente, apreciados pelo Conselho Editorial, que analisa sua adequação às Normas e à Política Editorial da Revista (incluindo a originalidade e o ineditismo do artigo) e decide por seu envio ao parecerista para avaliação do tipo cega ou sua recusa prévia. O ineditismo do artigo e da resenha será analisado com base em uma ferramenta de antiplágio (CopySpider).
  21. A titulação do autor, instituição, cidade da instituição, órgão de lotação, e-mail, grupo de pesquisa a que pertence devem constar no final do texto, após as referências.A identificação do autor restringe-se ao texto do artigo submetido. O texto do artigo anônimo será enviado ao parecerista para avaliação.
  22. Todos os pareceres emitidos pelos avaliadores deverão ser apreciados pelo Conselho Editorial da Revista Educação em Questão.
  23. O Conselho Editorial da Revista, após apreciar o parecer emitido pelo avaliador, informa imediatamente, ao autor.
  24. A política de ética e de boas práticas na produção e na publicação da Revista Educação em Questão deve considerar: i) As Diretrizes Básicas para a Integridade na Atividade Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq – 2011); ii) Os Protocolos da Plataforma Brasil por meio do(s) Comitês de Ética em Pesquisa; iii) A Resolução do Conselho Nacional de Saúde de n° 510, de 7 de abril de 2016 (dispõe sobre normas aplicáveis às pesquisas em Ciências Humanas e Sociais); iv) O documento Preliminar: Ética na Pesquisa em Educação da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (2017); iv) Código de Conduta para Editores e Periódicos do Cope.
  25. À Revista Educação em Questão ficam reservados os direitos autorais pertinentes a todos os artigos nela publicados. A Revista Educação em Questão utiliza a licença de Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License, que permite o compartilhamento do artigo com o reconhecimento da autoria.
  26. Os autores e coautores de artigos e resenhas publicados na Revista Educação em Questão terão um prazo de, no mínimo, dois anos para que possam submeter novos trabalhos para publicação.
  27. O período para submeter o artigo à Revista Educação em Questão é de 1º de março a 31 de outubro.
  28. O procedimento para submissão do artigo e da resenha no Portal de Periódicos Eletrônicos da UFRN – http://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao – deve seguir as seguintes orientações: "Cadastro" (Em Perfil -> registrar os dados solicitados para o autor e depois para o coautor); "Acesso" (Inserir usuário e senha); "Submissões" (Fila -> nova submissão); “Inicio” (Selecionar a seção -> artigo ou resenha); “Enviar arquivo” (Transferência do manuscrito); “Finalização” (Em enviar um novo arquivo -> anexar a Declaração de ineditismo) e “Concluir”.
  29. As menções de autores no texto subordinar-se-ão as Normas Técnicas da ABNT NBR 10520, agosto 2002. Exemplos: Teixeira (1952, p. 70); (TEIXEIRA, 1952) e (TEIXEIRA, 1952, p. 71).
  30. As referências no final do texto precisam obedecer às Normas Técnicas da ABNT, NBR 6023, agosto 2002. Exemplos:

    Livro

    >ALMEIDA, José Ricardo Pires de. História da instrução pública no Brasil (1500-1889). Tradução Antonio Chizzotti. São Paulo: EDUC; Brasília: MEC/INEP, 1989.

    AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira. 6. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; Brasília: Editora UNB, 1996.

    Capítulo de livro

    SOARES, Magda. Alfabetização: o saber, o fazer, o querer. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo; FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva (Org.). Alfabetização e seus sentidos: o que sabemos, fazemos e queremos? Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Editora Unesp, 2014.

    Artigo em Periódico

    DISCURSO de posse do professor Anísio Teixeira no Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 17, n. 46, p. 69-79, abr./jun. 1952.

    LOURENÇO FILHO, Manuel Bergstrõm. Antecedentes e primeiros tempos do INEP. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 42, n. 95, p. 8-17, jul./set. 1964.

    Tese e dissertação

    ALMEIDA, Stela Borges de. Educação, história e imagem: um estudo do colégio Antônio Vieira através de uma coleção de negativos em vidro dos anos 20-30. 1999. 284f. Tese (Doutorado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1999.

    SOUZA, José Nicolau de. As lideranças comunitárias nos movimentos de educação popular em áreas rurais: uma “questão” desvendada. 1988. 317f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 1988.

    Monografia

    MOREIRA, Keila Cruz. Grupos escolares – modelo cultural de organização (superior) da instrução primária (Natal, 1908-1913). Natal, 1997, 59 f. Monografia (Especialização em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 1997.

    Trabalho publicado em anais de congresso

    ARAÚJO, Marta Maria de; MEDEIROS NETA, Olivia Morais de; FIGUEIRÊDO, Franselma Fernandes. Oráculo(s) de vida terrena e post-mortem (Caicó-Rn, século XIX). In: CONGRESSO INTERNACINAL SOBRE PESQUISA AUTO (BIOGRÁFICA), 3; 2008, Natal. Anais… Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2008.

    Entrevista

    ANTONIO. Entrevista. Natal, 5 maio. 2010.

    Artigo ou matéria de Jornal

    CUNHA, Raíra Mércia da; SANTOS, Nilzete Moura. Educação e família. O Estado de S. Paulo, São Paulo, p. 4, 15 set. 2013.

    Documento escolar

    PELO ENSINO. Visitas escolares. Grupos Escolares “Senador Guerra” de Caicó e “Capitão Mor Galvão” de Currais Novos. A República, Natal, p. 1, 14 ago. 1920.

    Documentos eclesiásticos

    FREGUESIA DA GLORIOSA Sant'Ana do Seridó. Termo de matrimônio de Ana Joaquina do Sacramento e Francisco Correia d'Avila. Vila Nova do Príncipe, 1812. In: MEDEIROS FILHO, Olavo de. Velhas famílias do Seridó. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1981.

    FREGUESIA DA GLORIOSA Sant'Ana do Seridó. Assento de óbito de Caetano Barbosa de Araújo. Vila Nova do Príncipe, 1842. In: MEDEIROS FILHO, Olavo de. Velhas famílias do Seridó. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1981.

    Testamento

    SILVA, Caetano de Souza. Testamento. Caicó/Freguesia da Gloriosa Senhora Sant'Ana, 1890. (Documento manuscrito de 22 de julho de 1890, sob a guarda do Laboratório de Documentação Histórica do Centro de Ensino Superior do Seridó/LABORDOC − Caicó).

    Testamentos e autos de contas

    NASCIMENTO, Joaquina Maria do. Testamento e autos de contas. Vila do Príncipe /Freguesia da Gloriosa Senhora Sant'Ana, 1850. (Documento manuscrito de 20 de agosto de 1850, sob a guarda do Laboratório de Documentação Histórica do Centro de Ensino Superior do Seridó/LABORDOC - Caicó).

    SACRAMENTO, Ana Batista do. Testamento e autos de contas. Cidade do Príncipe/Freguesia da Gloriosa Senhora Sant'Ana, 1873. (Documento manuscrito de 2 de outubro de 1873, sob a guarda do Laboratório de Documentação Histórica do Centro de Ensino Superior do Seridó/LABORDOC - Caicó).

    Legislação educacional, Constituição, mensagem governamental

    >BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional (LDB). Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996. Seção 1, p. 27833.

    ______. Decreto nº 19.444, de 01 de dezembro de 1930. Dispõe sobre os serviços que ficam a cargo do Ministério da Educação e Saúde Pública, e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 13 fev. 2013.

    ______. Decreto nº 20.772, de 11 de dezembro de 1931. Autoriza o Convênio entre a União e as unidades da federação, para o desenvolvimento e padronização das estatísticas educacionais. Disponível em: Acesso em: 13 fev. 2013.

    ______. Constituições Brasileiras (1934). Brasília: Senado Federal e Ministério de Ciência e Tecnologia, Centro de Estudos Estratégicos, 2001 (Ronaldo Poletti – Organizador, v. 3).

    ______. Constituição dos Estados Unidos do Brasil (10 de novembro de 1937). Disponível em: Acesso em: 26 mar. 2013.

    ______ Decreto-Lei nº 868, de 18 de novembro de 1938. Cria, no Ministério da Educação e Saúde, a Comissão Nacional de Ensino Primário Disponível em: Acesso em: 29 mar. 2013.

    ______. Decreto-Lei nº 4.958, de 14 de novembro de 1942. Institui o Fundo Nacional do Ensino Primário e dispõe sobre o Convênio Nacional de Ensino Primário. Disponível em: Acesso em: 25 mar. 2013.

    ______. Constituições Brasileiras (1946). Brasília: Senado Federal e Ministério de Ciência e Tecnologia, Centro de Estudos Estratégicos, 2001. (Aliomar Baleeiro e Barbosa Lima Sobrinho – Organizadores, v. 5).

    ______. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional pelo Presidente da República, Getúlio Dornelles Vargas na abertura da sessão legislativa de 1951. A educação nas mensagens presidenciais. Brasília: MEC/INEP, 1987. (v. 1, 1890-1986).

    ______. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional pelo Presidente da República, Juscelino Kubitschek de Oliveira na abertura da sessão legislativa de 1957. A educação nas mensagens presidenciais. Brasília: MEC/INEP, 1987. (v. 2, 1890-1986).

    Revista Educação em Questão
    Centro de Educação
    Programa de Pós-Graduação em Educação
    Universidade Federal do Rio Grande do Norte | Campus Universitário
    Bairro | Lagoa Nova | Natal | Rio Grande do Norte | Brasil
    CEP | 59078-970
    E-mail | eduquestao@ce.ufrn.br
    Site | www.revistaeduquestao.educ.ufrn.br
    Portal | http://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao